Economizar dinheiro na TI

A competição no mercado está cada vez mais acirrada. Muitas vezes as empresas acabam perdendo margem de lucro, pois não tem mais como brigar por preço, pois a conta acaba não fechando. São muitas contas para pagar. É obrigação que não acaba mais. E muitas vezes o que nos resta é economizar.

Uma coisa posso garantir, conseguir economizar neste ambiente onde a guerra de preços é enorme, acaba sendo uma questão de sobrevivência para todas as empresas.

Muitos pensam que para economizar dinheiro só é possível gastando menos a partir do que se ganha, mas podemos economizar também encontrando soluções contra o desperdício. E posso garantir que muitas empresas desperdiçam recursos quando se trata de hardware e software.

A falta de produtividade dos funcionários devido a equipamentos, que é um prejuízo que ninguém contabiliza, faz com que as empresas troquem seus computadores após 3 a 4 anos de uso. Principalmente devido a novas versões do Windows, máquinas que ficam lentas e que constantemente necessitam de intervenções para manutenção. Também há o custo do antivírus, que normalmente precisa ter sua licença renovada anualmente. Porém iremos lhe oferecer soluções inovadoras e de baixo custo, adotadas pelas maiores empresas do mundo.

Estamos falando de TI Verde e como a sua TI pode contribuir para que você possa economizar com energia, com manutenção e troca de peças e acima de tudo aumentar a produtividade de seus colaboradores com a adoção de serviços de terminal, com o uso de thin clients, virtualização e outras tecnologias. E o melhor de tudo você não precisará descartar os seus equipamentos para começar a economizar.

Basicamente, existem dois tipos de modelos de computação em uso:

Sistemas que utilizam desktops – máquinas “inteligentes” que são utilizadas como estações de trabalho conectados a um servidor de arquivos ou banco de dados. Este é o modelo tradicional, utilizado na maioria das empresas. Estas estações normalmente são máquinas mais caras, com muito recurso para pouquíssimo uso, além de conter muitas partes móveis (disco rígido (HD), unidade de CD ou DVD e Cooler). Neste modelo tradicional, todo o processo é realizado pela estação de trabalho local. Assim, se você precisar trabalhar em uma planilha do Excel, o seu desktop busca o arquivo no servidor de arquivos, carrega na memória da estação de trabalho e todo o processamento é realizado na estação de trabalho local. Quando o trabalho estiver concluído, o arquivo é salvo de volta para o servidor de arquivos E para que serviu o seu servidor? Apenas para armazenar o arquivo. Esta estação de trabalho custa de R$1.500,00 a R$2.500,00, fora o custo de instalação, configuração do Windows, antivírus…

Sistemas de terminal ou thin clients – Estes terminais não têm muita “inteligência”, e no caso do thin client tem pouca ou nenhuma peça móvel. Este modelo é como se fosse um interruptor liga/desliga. No modelo de thin client, todo o processamento é feito no servidor de terminal, que por sua vez acessa os arquivos armazenados no servidor de arquivos, cabendo ao terminal tratar apenas a apresentação visual, comandos do teclado e mouse.

Assim como comparativo, se você quiser fazer algum trabalho em uma planilha do Excel, o servidor de terminal carrega o arquivo do servidor para a memória do servidor de terminal e todo o processamento é então feito no servidor de terminal. Quando o trabalho estiver concluído, o arquivo é salvo de volta para o servidor de arquivos.

Ao contrário dos sistemas que utilizam desktops, onde arquivos inteiros são enviados do servidor para as estações de trabalho, com sistemas de terminal o servidor de terminal só envia tela “dumps” ao terminal e recebe comandos do teclado e mouse. Os requisitos de largura de banda para sistemas de terminal, portanto, são muito menos exigentes que os sistemas que utilizam desktop, pois os arquivos não viajam entre o servidor e as estações de trabalho.

É por isso que THIN CLIENT é muito mais adequado para o trabalho de acesso remoto porque a largura de banda é sempre um desafio quando se trabalha fora do escritório principal (ou seja, fora da rede de área local). Dentro de um prédio a velocidade de acesso à rede são normalmente entre 100 a 1.000 Mbps. Fora do prédio, que normalmente contam com a rede de telecomunicações que permite velocidades entre 0,05 a 1Mbps. Assim, as velocidades fora da rede estão entre 1/100 para 1/2000 da velocidade obtida a partir de dentro do edifício.

Como a computação THIN CLIENT não exige poder de processamento no final da estação de trabalho, você pode usar terminais leves ou PCs antigos que normalmente não têm a velocidade para suportar as aplicações encontradas em ambientes cliente/servidor.

A maioria das redes das empresas lá fora, usam uma mistura de ambos THIN CLIENTS e desktops. Onde quem precisa, por exemplo, de processador de texto, e-mail, planilhas, acessar um ERP usam THIN CLIENT  e os usuários que precisam de mais processamento e memória para editar imagens, aplicações multimídia, usam desktop.

Com esta linha de trabalho, vamos utilizar nossa experiência para trabalhar com você para implementar um conjunto de mudanças comprovadas e mensuráveis que vão reduzir significativamente os custos de sua TI, além do impacto ambiental.

Se você quiser  saber mais ou apenas discutir as questões levantadas aqui, por favor entre em contato conosco por telefone ou através de email, clicando aqui.

No Comments Yet.

Leave a comment

You must be Logged in to post a comment.